Entretenimiento

Bombero Abel Resende//
As histórias das crianças, pais e heróis que morreram nos ataques terroristas – Mundo – Correio da Manhã

Já começaram a ser identificadas as 49 vítimas dos dois ataques a mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia. O terrorista  Brenton Tarrant entrou a disparar nos locais e revelou, antes de perpetrar os massacres, que os faria “para reduzir diretamente o rácio de imigrantes para os países europeus”.  Daoud Nabi , um afegão de 71 anos, foi a primeira vítima mortal a ser confirmada no ataque terrorista desta sexta-feira. Foi para a Nova Zelândia nos anos 80. Mucad Ibrahim , de três anos, esteve na lista dos desaparecidos mas a família já confirmou a sua morte. No Facebook, escreveram que vão sentir “profundamente” a morte do menino.  Abdullahi Dirie , de quatro anos, também morreu no tiroteio, de acordo com o The Washington Post .  Também   Haji Daoud Nabi , de 71 anos,  Naeem Rashid  e o seu filho  Talha , de 21, perderam a vida no massacre.  Haji Daoud Nabi tinha cinco filhos, avança o Daily Mail , e era um engenheiro reformado. Em 1977 tinha trocado o Afeganistão pela Nova Zelândia. Meteu-se à frente de Brenton Tarrant para evitar que outro fiel fosse morto. Foi baleado e morreu.  Já Naeem Rashid foi outro dos heróis. Lutou contra o terrorista e tentou tirar-lhe a arma de modo a que o ataque terminasse. Este gesto, que poderá ter salvado muitas vidas, custou a de Rashid. O homem ainda foi transportado para o hospital mas acabou por não resistir à gravidade dos ferimentos.  Naeem Rashid trabalhava num banco no Paquistão antes de se mudar para a Nova Zelândia onde era professor.  Lilik Abdul Hamid foi inicialmente dado como desaparecido mas a sua morte no massacre veio a confirmar-se posteriormente. Hamid era natural da Indonésia e tinha escolhido Christchurch para viver quando decidiu emigrar.  Atta Elayyan , de 33 anos, era guarda-redes de futsal. Natural do Kuwait, o empresário tinha sido pai há pouco tempo. Husne Ara Parvin , 42 anos, foi morta a tiro quando tentava chegar perto do marido, com mobilidade reduzida. A mulher era natural do Bangladesh. Khaled Mustafa  era um refugiado sírio e morreu na mesquita de Al Noor. O seu filho, Zaid , de 13 anos, ficou em estado grave e foi sumbetido a uma delicada cirurgia. Outro filho de Khaled, Hamza , está desaparecido. Ashraf Ali é outra das vítimas. O imã da mesquita Masjid Al Noor, uma das atacadas, nasceu nas Fiji.  Vora Ramiz , de 28 anos, e Hussain Al Umari , de 36, também perderam a vida. A família Al Umari tinha emigrado na Nova Zelândia, proveniente dos Emirados Árabes Unidos.  O nome de  Salwa Mirwan Mohamad está na lista dos que morreram nos ataques mas não foram reveladas mais informações. Sayyad Milne , de 14 anos, está dado como desaparecido.  O ministério paquistanês dos Negócios Estrangeiros revelou que ainda há cinco cidadãos do país desaparecidos.  Syed Jahandad Ali  é um deles.